Rio+20 descarta temas essenciais

Cândido Grzybowski
Sociólogo, diretor do Ibase

Falta pouco para a Conferência da ONU no Rio de Janeiro. O que se confirma até agora é o quanto as negociações governamentais estão longe do que a humanidade precisa com urgência. Até parece que o principal esforço oficial é evitar compromissos com a mudança do paradigma produtivista e consumista, gerador de exclusões e desigualdades sociais e, ao mesmo tempo, destruir da Mãe Terra. Pior, a Conferência aponta em outra direção, busca ainda mais desenvolvimento.

Quer-se uma nova frente de livre expansão do mesmo capitalismo, radicalizando a privatização e a mercantilização da natureza. Chamar isto de sustentabilidade e maquiar de verde tal economia não esconde o seu potencial de ameaça para a humanidade e a integridade do planeta. Chama a atenção a ausência dos direitos e responsabilidades socioambientais nas negociações.

Leia coluna de Cândido Grzybowski na íntegra no Canal Ibase.