Já está no ar a segunda edição de Trincheiras

O Estatuto da Criança e do Adolescente fez 25 anos de existência. Ao invés de comemorar avanços, o Congresso Nacional votou a redução da maioridade penal, provocando um intenso debate nacional. Este é o tema da reportagem de Pedro Martins, capa do número 2 da Trincheiras, a revista de cidadania ativa do Ibase (downloads no fim desta página), e também da charge do talentoso Claudius Ceccon.

Nesta edição você também vai se deliciar com a entrevista que Alan Brum, o menino que nasceu no Complexo do Alemão e que hoje lidera o Raízes em Movimento, grupo que, segundo ele, “se desloca para destruir os muros que nos excluem e construir pontes”. Outra liderança comunitária que também ganha destaque nesta Trincheiras é Maria da Penha Macena, a Penha de Vila Autódromo. Ela tem liderado a resistência da população local às inúmeras tentativas de remoção comandadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Remoções, aliás, não são novidade na “Cidade Maravilhosa”. Na seção Memória, um histórico das inúmeras ações governamentais para retirar os “indesejáveis” do caminho.

Analisando a conjuntura nacional, o economista Adhemar Mineiro traz um texto inédito sobre a situação do emprego no Brasil. Já no âmbito internacional, o problema dos migrantes e refugiados na Europa é visto com preocupação pela coordenadora de Relações Internacionais da Associação Cultural e Recreativa Italiana, Raffaella Bolini.

A seção Debates traz seis artigos abordando o extrativismo mineral e os impactos sociais e ambientais gerados por essas atividades. Será que a resposta para o desenvolvimento está realmente na produção de mais e mais commodities como petróleo, gás e minérios?

O diretor do Ibase, Cândido Grzybowski, assina o editorial e um texto sobre a experiência do Projeto Incid. Ele usa a experiência desenvolvida pela equipe do projeto em Nova Friburgo para explicar como os Indicadores de Cidadania – que estão sendo produzidos em 14 municípios do Rio de Janeiro – permitirão ser apropriados, utilizados e replicados em qualquer outra cidade.  “Trata-se de se munir de instrumental político e cultural para exercer, com autonomia, o papel instituinte e constituinte próprio da cidadania, seja pelo exercício do voto, seja pela participação em espaços institucionais e de políticas públicas, ou, ainda, pela ação direta nas ruas e nos espaços públicos”, ele define.

No formato EPUB, você também pode imprimir trechos, artigos ou a revista toda, se preferir.

Download do arquivo EPUB

Se preferir, baixe a versão em pdf. Com ela você também pode imprimir a sua Trincheiras, toda ou em partes.

Download do arquivo PDF

» Como baixar e ler a Trincheiras em versão epub