Debate sobre desenvolvimento prepara agenda da COP 25

Athayde Motta, diretor do Ibase, esteve presente hoje (dia 5) no “Diálogo Governança para Mineração no Século XXI em Países Andinos”, organizado pela Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), agência das Nações Unidas ONU voltada para a promoção de políticas de desenvolvimento. O encontro aconteceu em Santiago, no Chile, e faz parte da agenda da XXI reunião da Rede Latino-americana sobre as Indústrias Extrativas (Rlie), que agrupa organizações do México, Guatemala, Peru, Equador, Bolívia, Chile e Brasil.

“Esse momento de debate sobre mineração e desenvolvimento, tanto na Cepal como na Rlie, é fundamental para pensar as estratégias de atuação da sociedade civil durante a COP 25. Os países da América Latina – seus governos, movimentos sociais e ONGs – terão uma grande oportunidade para discutir modelos possíveis para o futuro e nossos bens comuns” – explicou o diretor.

A COP-25 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas) tem como objetivo negociar a implantação do Acordo de Paris – um compromisso mundial para a redução de emissão de gases do efeito estufa. Inicialmente, o encontro de países seria no Brasil, mas o presidente Jair Bolsonaro retirou o interesse do Brasil em sediar o evento. Segundo Athayde Motta, “isso por si só já prejudicou a imagem do Brasil, mesmo antes de toda a repercussão sobre as queimadas na Amazônia”.

A nova sede do encontro, que acontece em dezembro, será a cidade de Santiago, capital do Chile.  “Nós do Ibase estaremos presentes na COP 25, assim como historicamente participamos de outras conferências da ONU. A presença de organizações brasileiras na COP 25 será uma oportunidade de expor as visões da nossa sociedade civil ao mundo e apresentar o trabalho sério e importante que fazemos para lidar com a crise climática e ambiental” – finalizou Motta.