Semana Betinho lembra 20 anos da morte de Herbert de Souza

 

“O Brasil pode entrar novamente no Mapa da Fome”.  A declaração de Francisco Menezes, coordenador do Ibase, em matéria do Jornal O Globo – repercutida em várias outras publicações – nos remete a um país que todos achávamos ter ficado para trás. Um passado de luta para que brasileiras e brasileiros tivessem o mínimo para sua sobrevivência, para que tivessem o que comer. Herbert de Souza, o Betinho, é um ícone deste movimento.

A mobilização por uma sociedade mais justa e igualitária, as análises de conjuntura, os bate papos sobre o país movidos pela descontração e pela sagacidade de pensamento de Betinho estarão presentes em um evento promovido pelo Ibase – Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas, entre os dias 7 e 9 de agosto. A Semana Betinho irá marcar os 20 anos da morte do sociólogo e trazer memórias sobre esta figura tão importante para a história do país.

Além das rodas de conversa, as histórias de Betinho também estarão presentes no evento em formato de vídeo. O líder do MST, João Pedro Stédile, e o compositor Aldir Blanc estão entre os que gravaram depoimentos contando sobre a relação com o sociólogo e fundador do Ibase. Blanc ainda traz em sua gravação a leitura do poema “Quatro Irmãos”, no qual conta sobre sua relação com Herbert, Henfil e Chico Mário.

“Lembrar é viver. Betinho se foi, docemente, em casa, com amigos e Maria, 20 anos atrás. Mas a lembrança de sua ousadia em pensar e fazer, em sonhar e propor, em criticar e agir, sem perder o humor, ficará sempre viva”, ressalta Cândido Grzybowski, assessor de direção do Ibase e um dos idealizadores do evento, que ainda resume a importância de trazer de volta a figura de Betinho: “Ele encampou em seu corpo franzino uma motivação profundamente humana e ética, uma enorme capacidade de indignar-se frente à mínima injustiça, e uma corajosa e generosa luta na promoção dos direitos e da cidadania”.