Roda de Conversa debate os impactos da indústria do petróleo

Debater os impactos da indústria do petróleo nos territórios e as perspectivas dentro deste cenário: este é o objetivo da roda de conversa que o Ibase irá realizar no dia 26/09, terça-feira, das 14h às 19h. Pesquisadores e representantes de movimentos sociais estarão presentes neste encontro que se faz necessário principalmente devido ao momento em que ele se realiza.

Após dois anos sem novas rodadas de licitação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, para exploração de petróleo e gás, a Agência resolveu oferecer 287 blocos que serão leiloados no dia 27 de setembro. As novas áreas estão localizadas em nove bacias sedimentares brasileiras, terrestres e marítimas, incluindo blocos localizados na camada do pré-sal.
A ANP estima que centenas de áreas sejam oferecidas novamente para o mercado entre 2017 e 2019, período que a Agência já definiu um calendário para novos leilões. Com isso, o cenário que se apresenta para os próximos anos é de expansão da exploração de combustíveis fósseis, da manutenção da dependência econômica deste recurso para alguns estados e municípios, da ampliação dos riscos em áreas protegidas e de conflitos nos territórios, principalmente com pescadores, caiçaras, quilombolas, indígenas e demais comunidades tradicionais.

Dentro desse contexto e para falar sobre ele, convidamos como provocadores da roda de conversa o Fórum dos Atingidos pela Indústria do Petróleo e Petroquímica nas cercanias da Baía de Guanabara (FAPP), Fórum de Comunidades Tradicionais Angra, Paraty e Ubatuba e a campanha “Nem um poço de petróleo a mais”. Das 14h às 16h, eles irão provocar o debate sobre como estão os territórios e as resistências neste momento.

Em um segundo momento, Alexandre Costa, professor da UECE e do Movimento Ceará no Clima, Bianca Dieile, pesquisadora da Fiocruz e do FAPP, e Karine Narahara, da Campanha “Por um Brasil livre de Fracking”, irão abordar as perspectivas do atual cenário desde três abordagens: o clima, os recursos hídricos e as resistências e o avanço da indústria do petróleo sobre os territórios protegidos.

Estes três últimos debatedores também estão presentes na coletânea “Fracking e exploração de recursos não convencionais no Brasil: riscos e ameaças”, organizada pelo Ibase, que será lançada logo após o debate.

A roda de conversa “Indústria do Petróleo e seus Impactos nos Territórios” será realizada na sede do Ibase, localizada na Rua Senador Dantas, 40, Centro, Rio de Janeiro. Além da presença física na roda, haverá também a possibilidade da participação pelo Facebook, através da transmissão ao vivo do debate na página da instituição.