Centro da ONU no Brasil promove concurso de vídeos sobre pobreza; inscrições até 8 de agosto

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) lançou, no dia 18 de julho, um concurso de vídeos com o tema A luta contra a pobreza é uma questão de justiça. Não é um gesto de caridade. Os três melhores filmes serão divulgados em 1º de setembro e serão exibidos no mesmo mês no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio de Janeiro. Prazo para inscrição é 8 de agosto.

1º Concurso de Vídeo da ONU Nelson Mandela avaliará produções audiovisuais de ficção ou documentário que tenham duração de 4 a 6 minutos. Os filmes serão avaliados por um júri de especialistas segundo seis critérios — roteiro, interpretação (no caso das obras de ficção), qualidade estética, originalidade, diversidade e relação com o tema.

Os diretores dos três melhores filmes selecionados pelos jurados serão convidados a participar da exibição dos vídeos no CCBB, que acontecerá em 21 de setembro, Dia Internacional da Paz. Os participantes deverão conceder o direito de uso do filme para o UNIC, uma vez que os vídeos serão exibidos no evento e também nos canais de comunicação da ONU Brasil.

Para se inscrever, é necessário preencher o formulário de inscrição no link https://goo.gl/forms/WAiG6mEDgwHE3fpN2 e realizar o envio do vídeo em formato mp4, por meio de alguma plataforma de compartilhamento online (confira os detalhes no formulário).

Conheça os jurados

Manoel de Almeida

Serviu às Nações Unidas por 28 anos em vários continentes, atuando principalmente em zonas de conflito e de crise humanitária. Foi chefe do serviço de informação pública da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), em Genebra, e porta-voz adjunto do secretário-geral Kofi Annan, na sede da ONU em Nova York, além de trabalhar no Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio). Atualmente, faz consultorias na área de comunicação e coopera voluntária e informalmente com ONGs e indivíduos em comunidades de favelas brasileiras.

Patricia Machado

Patricia Machado é professora da graduação em Cinema da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Doutora em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ), com doutorado sanduíche no Instituto de Cinema e Audiovisual da Universidade de Paris 3 — Sorbonne Nouvelle (bolsa CNPQ). Participa desde 2009 de grupos de pesquisa financiados pelo CNPQ que tratam de questões relativas ao documentário, às imagens de arquivo e às relações entre cinema, memória e história. Publicou artigos, capítulos de livros e participou de congressos nacionais e internacionais sobre os temas. É uma das editoras do blog do Grupo de Trabalho Outros Filmes, da Associação de Investigadores da Imagem em Movimento (AIM).

Rita Brandão

Rita Corrêa Brandão é assistente social, mestre em Políticas Sociais com ampla experiência em trabalhos sociais em favelas e periferias urbanas. Tem experiência em gestão de programas e projetos sociais na área pública, em organizações não governamentais e em empresas privadas, como consultora. É diretora do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE), onde também coordenou o programa de Indicadores de Cidadania e atuou nas áreas do direito à cidade, políticas urbanas e desenvolvimento territorial.

Sérgio Rizzo

Jornalista, doutor em Artes/Cinema. É apresentador do canal de TV Arte 1, crítico do jornal O Globo e colaborador da Folha de S. Paulo. Produtor associado da produtora de audiovisual Parece Cinema. É membro dos comitês de seleção do É Tudo Verdade — Festival Internacional de Documentários, da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e do Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo. Autor dos livros “Cinema e Educação – 200 Filmes sobre a Escola e a Vida”, “Família e Educação – Quatro Olhares” e “Vitória – Ayrton Senna”.

Werner Schünemann

Diretor, roteirista e ator, graduado em história pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Um dos fundadores da Casa de Cinema de Porto Alegre. Foi presidente da associação de cineastas do Rio Grande do Sul e da FUNDACINE, Fundação Cinema RS. Foi responsável pela organização do terceiro Congresso Brasileiro de Cinema, onde surgiu o projeto de criação da Agência Nacional do Cinema (ANCINE). Em mais de 20 anos de carreira, é parte do elenco fixo da TV Globo. Participou de telenovelas e minisséries, trabalhou em diversos filmes e também atua em teatro. É diretor e roteirista de sete produções.