Ibase realiza encontro sobre impacto dos grandes empreendimentos na Costa Verde

As ameaças ambientais, culturais e territoriais trazidas pelos grandes empreendimentos na região da Costa Verde serão o tema de um encontro em Paraty. Entre os dias 16 e 18 de outubro, o Ibase reunirá representantes dos povos tradicionais da região para um debate que tem como objetivo desenvolver estratégias de controle social sobre grandes empreendimentos que impactam terras e territórios.

Feito em parceria com o Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS) e com o Fórum das Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba (FCT), o evento terá ainda a participação de pescadores e quilombolas de outras partes do país. “Esses encontros nasceram com o objetivo de fortalecer as populações impactadas por esse modelo de desenvolvimento devastador para os territórios”, pontua Nahyda Franca do Ibase. Segundo ela, nessas ocasiões, os comunitários que protagonizam suas lutas estão podendo se apropriar de maneira mais profunda sobre os temas e construir de maneira coletiva estratégias de atuação.

 

Região da Costa Verde é rica em diversidade cultural e ambiental

A região da Costa Verde possui comunidades tradicionais que lutam em defesa de seus territórios. São povos guaranis, caiçaras e quilombolas que habitam e fazem parte da sociobiodiversidade desse local e que, diariamente, sofrem com ameaças para garantirem seus modos de vida e a continuidade de seus saberes. O conflito pelo território nessa região é atravessado por diversos fatores como a especulação imobiliária, o turismo de massa e grandes empreendimentos que afetam a vida das comunidades.

Diante da realidade local, Paraty foi a escolhida para sediar o encontro Grandes Empreendimentos e os impactos nas comunidades tradicionais: troca de experiências e estratégias de controle social.  O objetivo final desse evento será a construção de um documento coletivo com todas as organizações, entidades e instituições que estarão presentes e esse documento será encaminhado aos órgãos responsáveis.

(Foto: Eduardo Napoli /
Comunicação Popular do FCT)

O encontro será itinerante e passará por Trindade, pelo Quilombo do Campinho e pela Aldeia Itaxim (Paraty Mirim). “O perfil dos participantes está bem diverso e são pessoas engajadas que estão na luta há algum tempo, por isso eu imagino que exista grandes chances desse debate se ampliar e se aprofundar”, acrescenta Nahyda Franca, coordenadora do Ibase.

A conjuntura atual faz ainda mais urgente fortalecer os povos tradicionais no controle social de seus territórios. “Estamos vivendo um momento de muito retrocesso em relação aos direitos, legislações ambientais solidificadas que estão sendo destruídas, por isso é importante a sociedade estar informada”, alerta Nahyda.

 

Serviço:

Encontro: Grandes Empreendimentos e os impactos nas comunidades tradicionais: troca de experiências e estratégias de controle social

16 de outubro de 2018

Local: Trindade  – Associação de Moradores Originários da Trindade (AMOT)

Horário: 9h às 17h30 (20h30 – programação cultural: Jongo do campinho no Quilombo do Campinho)

 

17 de outubro de 2018

Local: Quilombo do Campinho

Horário: 9h às 19h (17h30 – programação cultural: Fandango caiçara de Ubatuba)

 

18 de outubro de 2018

Local: Aldeia Itaxim (Paraty Mirim)

Horário: 9h30 às 17h30 (16h – programação cultural: coral indígena)

 

Para acessar a programação completa, clique aqui